7 erros mais comuns no orçamento de obras que você precisa evitar

6 minutos para ler

Para que as atividades no canteiro de obras sejam executadas da forma correta e com produtividade, o setor de construção civil precisa de um planejamento eficiente. É necessário seguir o cronograma para que a execução corresponda ao projeto e o prazo seja cumprido, pois é um dos fatores mais importantes, já que entregas atrasadas desagradam ao cliente.

Outro fator fundamental é o orçamento. Afinal de contas, o cliente espera que o custo final seja exatamente igual ou bem próximo ao que foi estimado no início. Sendo assim, o orçamento é um documento fundamental para a gestão de obras, pois ele tem potencial para deixar o projeto da construção civil bem organizado, mantendo os gastos dentro do que foi programado.

Por esse motivo, é necessário tomar o máximo cuidado ao elaborar esse documento, pois os erros no orçamento de obras podem comprometer seriamente os resultados e, em alguns casos, será preciso suspender as atividades (mesmo que seja temporariamente). Em todo caso, o cliente certamente ficará insatisfeito.

Confira neste post, os erros mais comuns e que precisam ser evitados para otimizar a produtividade e a qualidade do trabalho!

1. Desconhecer os custos diretos e indiretos é um dos graves erros no orçamento de obras

É fundamental diferenciar e conhecer os custos diretos e os indiretos. Os custos diretos são aqueles que resultam dos insumos e da mão de obra, que estão envolvidos diretamente nos serviços prestados. A fim de realizar uma quantificação correta, é importante conhecer as operações e ser experiente no setor de construção civil.

Além disso, para cálculo dos custos diretos, é importante saber quais serão os insumos usados, os rendimentos proporcionados por eles e os valores financeiros relacionados a cada um.

Desconhecer os custos indiretos também está entre os erros mais cometidos no orçamento de obras. Ainda que impactem decisivamente nos gastos finais, eles não são detectados com tanta facilidade. Para sua quantificação, é importante determiná-los em padrões e analisá-los sobre os recursos da obra. Podem envolver, por exemplo, as despesas de água e luz.

2. Não fazer uma visita de campo pode criar distanciamento com a realidade

É muito importante que o profissional que se responsabiliza pelo orçamento de uma obra ou um projeto de engenharia tenha conhecimentos sobre métodos atuais de gestão. Ele pode usar ferramentas tecnológicas que ajudam no desenvolvimento desses métodos e no acompanhamento das atividades.

Apesar de tudo isso, é recomendado que o gestor faça visitas de campo. As visitas ao canteiro de obras permitem uma análise presencial dos desafios reais que precisam ser superados. Dessa maneira, muitas falhas e gargalos podem ser solucionados. Certos entraves, difíceis de serem identificados de longe, no escritório, podem ser detectados e resolvidos em tempo hábil no canteiro de obras.

3. Não avaliar os riscos para criar contingências que solucionem problemas

Também está entre os principais erros no orçamento de obras a não avaliação dos riscos que todo projeto construtivo envolve. A conclusão de uma gestão de riscos deve integrar parte do processo de definição orçamentária. Isso contribui para a tomada de decisões.

Um bom analista de projetos consegue detectar os riscos e estimar contingências. Quando se desconsideram os riscos e não se criam contingências para o orçamento, pode ocorrer prejuízos, caso algo saia errado.

Quanto maiores os riscos, mais cuidados serão necessários. É preciso despender mais tempo na busca de formas de reduzi-los e avaliar como essas ações influem nos custos. Provavelmente, não será fácil recuperar perdas, se eventualidades negativas surgirem enquanto a obra já estiver em execução.

4. Não realizar a Curva ABC pode comprometer a precisão orçamentária

A Curva ABC tornou-se uma ferramenta fundamental no âmbito da construção civil. Com seu auxílio, o gestor consegue fazer uma avaliação mais exata do orçamento das matérias-primas e de outros insumos.

O relatório gerador a partir da análise da Curva ABC possibilita a verificação do plano original, ou seja, a revisão dos itens e dos processos usados no empreendimento. Desse modo, a obra fica ajustada ao ambiente e os profissionais responsáveis ficam a par de quais materiais exigem mais atenção, o que evita desperdícios e perdas.

5. Desconsiderar as leis trabalhistas por região pode estourar o orçamento

Outro erro comum é quando o gestor ou o responsável pela elaboração do orçamento de um projeto de construção civil não leva em conta, para a folha de pagamento dos trabalhadores, as atualizações nos parâmetros da mão de obra por região.

Essa atitude de considerar os valores por região contribui para uma previsão equilibrada dos gastos e, o que é ainda mais relevante, impede que a empresa se envolva em questões trabalhistas que, além de causarem um alto ônus financeiro, também mancham a reputação da instituição.

6. Esquecer os tributos é um dos mais danosos erros no orçamento de obras

Infelizmente, muitas empresas ainda desconsideram o pagamento de tributos obrigatórios. Por ser um assunto que não envolve a obra de forma direta, alguns gestores tratam essa questão com certo descaso. Mas dívidas com o governo podem gerar sérios problemas.

Caso o cálculo dos tributos seja feito de forma errada, o resultado pode ser até o comprometimento de toda a obra. Vale lembrar que não pagar corretamente os tributos pode causar cobranças judiciais e, em situações mais graves, o encerramento da obra.

7. Deixar de calcular o frete e as descargas pode aumentar os custos da obra

Entre os erros no orçamento de obras, também vale falar sobre o descaso com o cálculo dos valores do frete e da descarga. Essa falha pode provocar grandes prejuízos, tanto orçamentários quanto ao planejamento.

Um dos principais danos é o aumento nos custos do empreendimento, principalmente, quando não se analisam, desde o começo, esses valores. Recorrendo a fretes de forma emergencial, ou seja, de última hora, a obra tende a atrasar e a ficar mais cara.

O atraso costuma gerar prejuízos. Se os trabalhos param, o prazo de conclusão da obra é prorrogado e, consequentemente, a entrega também sofre atrasos. Sem contar os gastos de dinheiro extra para pagar os funcionários.

Os problemas podem ir além, diminuindo a qualidade dos materiais, pois o canteiro de obras geralmente não é compatível com a armazenagem de itens.

Diante de todos esses erros no orçamento de obras, você deve atentar para um planejamento bem estruturado, que contemple custos diretos e indiretos, Curva ABC, legislação trabalhista e carga tributária. Se você se empenhar em evitar todos os erros que detalhamos neste post, será muito difícil ter problemas no orçamento da sua obra.

Todo bom profissional gosta de se manter atualizado em sua área, para isso, assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail informações e dicas relevantes, como essa!

 

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.