Qual a importância do reaproveitamento de resíduos na construção civil?

  1. Início
  2. Meio Ambiente
  3. Qual a importância do reaproveitamento de resíduos na construção civil?

A crescente busca pela sustentabilidade em todas as áreas da economia tem provocado uma grande preocupação com a geração e descarte do lixo. A partir daí, surgiram ideias de reduzir a geração de resíduos na construção civil, um dos setores com maior produção de entulho no mundo.

Quase todos os serviços envolvidos na construção de um empreendimento geram toneladas de entulhos, o que pode se tornar um grande problema se eles não forem descartados corretamente e reutilizados em novas obras e reformas.

Se você quer saber mais sobre como é feito o reaproveitamento de resíduos na construção civil, confira este artigo que preparamos para você. Boa leitura!

O que é o reaproveitamento de resíduos na construção civil?

Um dos maiores obstáculos a ser vencido pela construção civil é a alta geração de resíduos. O grande problema é conciliar os seus processos de produção com o desenvolvimento sustentável das cidades, o que pode se tornar realidade com o reaproveitamento de produtos antes vistos como lixo.

Em 2010 foi lançada a Lei 12.035, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Ela regulamenta o manejo e descarte ambientalmente correto de todos os resíduos da construção, bem como define metas para reutilizar, reduzir o uso e reaproveitar os materiais. Com isso, as empresas do setor devem buscar formas alternativas para as sobras dos seus empreendimentos.

A Resolução 307 do CONAMA também estabelece diretrizes, procedimentos e critérios para o manuseio desses refugos, disciplinando ações necessárias para minimizar os impactos ambientais.

Por que classificar os resíduos?

O gerenciamento dos resíduos começa na classificação desses materiais em quatro categorias distintas. São elas:

  • classe A: são os resíduos que podem ser reutilizados ou reciclados como agregados, como restos de construção, demolição, reformas e reparos de pavimentação, inclusive solos que sobraram de terraplanagem. Os materiais mais comuns nessa classificação são tijolos, blocos, telhas, placas de revestimento, argamassa, concreto, tubos, meios-fios, entre outros;
  • classe B: se encaixam nessa classe os resíduos recicláveis para outras destinações, como plástico, papelão, papel, metais, vidros, madeira e gesso;
  • classe C: são os refugos para os quais ainda não existem tecnologias ou aplicações viáveis economicamente e que possibilitem a sua reciclagem ou reutilização, como é o caso de materiais como a lã de vidro;
  • classe D: por fim, essa classe reúne os resíduos perigosos como tintas, solventes, óleos, vernizes e todos aqueles que são prejudiciais à saúde e ao meio ambiente. Eles devem ser encaminhados a centros especializados, onde recebem um tratamento de acordo com suas características para serem neutralizados.

Fazer essa separação é importante por diversos motivos. O primeiro deles é para manter a organização do canteiro de obras e evitar que produtos perigosos entrem em contato com o solo, lençol freático ou outros materiais, garantindo a segurança dos trabalhadores e do meio ambiente. Essa triagem também oferece um retorno financeiro para a construtora com o reaproveitamento dos refugos e a redução do desperdício.

O processo de reciclagem também está ligado aos deveres legais das construtoras. Isso porque, quando esses materiais são alocados de forma inadequada, a empresa pode arcar com multas graves. O mesmo ocorre com as empresas responsáveis pelo transporte e descarte.

Quais são as vantagens dessa prática?

O reaproveitamento de resíduos na indústria da construção civil traz diversas vantagens econômicas e ambientais, pois essa prática reduz a extração de recursos naturais como areia, água, brita, barro, entre outros. Além disso, reutilizar produtos antes vistos como lixo ajuda a diminuir os níveis de poluição atmosférica, que poderiam ser maiores com o processamento e transporte de novas matérias.

Confira agora outros benefícios do reaproveitamento de resíduos.

Reaproveitamento interno

A reciclagem de materiais usados pode transformá-los em produtos muito semelhantes aos originais. Isso pode ser feito por meio de um triturador de entulho e outros processos específicos a cada tipo de material, reaproveitando aqueles recursos sem que novas compras sejam necessárias.

Proteção ambiental

O descarte incorreto dos entulhos e sobras podem causar a poluição do solo, de rios e de lençóis freáticos localizados perto da construção. Além disso, jogá-los em terrenos baldios ou lixões pode causar assoreamento e, em grandes centros urbanos, eles podem ser responsáveis pelo entupimento de bueiros, colaborando na ocorrência de enchentes e problemas de saúde pública. Por isso, é importante reaproveitar ao máximo e descartar corretamente quando necessário.

Certificação de sustentabilidade

Existem diversos selos de sustentabilidade que são fornecidos às empresas e aos empreendimento com as melhores práticas de reaproveitamento de resíduos e utilização de energias renováveis. Sendo assim, a sua organização pode ser reconhecida pelos processos produtivos que reciclam e reutilizam recursos, o que é uma ótima publicidade.

Uma das certificações mais conhecidas é a LEED (Leadership in Energy and Environmetal Design), utilizada em diversos países para incentivar as construções sustentáveis. A LEED visa encorajar o uso de produtos com baixo impacto ambiental e a redução da geração de resíduos, além do descarte consciente.

Redução de custos e geração de novos postos de trabalho

Ao fazer o reaproveitamento de resíduos da construção, a empresa economiza com compras de novos materiais e ainda não precisa pagar pelo descarte desses produtos em aterros. No mais, as empresas que desejam fazer a própria reciclagem dentro da obra podem gerar novos empregos e funções para que os materiais sejam reutilizados no mesmo empreendimento.

Como a tecnologia pode auxiliar esse processo?

A utilização da tecnologia no gerenciamento de resíduos, aliada a uma gestão eficiente, pode auxiliar a identificar os materiais parados em estoque, os que estão em uso e aqueles que devem ser descartados. Com isso, é possível verificar se cada um deles está sendo encaminhado ao local adequado, o que facilita o processo de triagem e garante mais sustentabilidade às construções de empreendimentos.

Como você viu, o processo de reaproveitamento de resíduos é muito importante para aumentar a sustentabilidade na construção civil. No entanto, esse processo exige investimentos em planejamento e conscientização da equipe, bem como a classificação dos materiais a serem descartados.

Se você gostou deste artigo e quer conhecer mais maneiras de reaproveitar os resíduos da construção civil, entre em contato conosco!

Meio Ambiente
Talvez você também goste:

Receba conteúdos em seu e-mail!

    Conteúdos recomendados

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Preencha esse campo
    Preencha esse campo
    Digite um endereço de e-mail válido.
    Você precisa concordar com os termos para prosseguir